Fernando Diniz explica função de Daniel Alves no São Paulo: “Tem que pegar ao máximo na bola”

Fernando Diniz explica função de Daniel Alves no São Paulo: “Tem que pegar ao máximo na bola”

Técnico diz ter descoberto junto com camisa 10 melhor posicionamento na região central do campo, pois é onde ele mais participa das ações do jogo. “Está jogando muito”, afirma Diniz

Por CLUBE SPFC NET Anderson Silva  — São Paulo

02/04/2020 14h32  Atualizado há 18 horas


O técnico Fernando Diniz, do São Paulo, explicou como encontrou o melhor posicionamento para Daniel Alves.

Desde setembro no Morumbi, Fernando Diniz disse ter achado junto com o Daniel Alves a função de meio-campista como melhor para o São Paulo, por ser uma região do campo onde ele pega mais na bola.

O atleta atua como uma espécie de volante com liberdade para iniciar as jogadas e se movimentar. Ele virou o artilheiro do elenco no ano, com cinco gols, e lidera constantemente estatísticas de passes certos nas partidas. Em 2019, com Cuca, o camisa 10 alternou entre lateral-direito e meia armador.

– Gosto do Daniel há muito tempo, desde 2010 ou 2008. Ele sempre me impressionou pela capacidade de se refazer dentro do jogo. É um cara que nunca desiste, muito dinâmico e gosta muito de ter a bola. Ele tem técnica, inteligência, coragem e personalidade para jogar futebol. No São Paulo, eu, ele e o time achamos juntos o melhor posicionamento para cada jogador, e para ele de maneria especial. Um cara que tem o volume de ações que ele tem, com personalidade e criatividade, esse jogador tem que pegar na bola o maior número de vezes possível. Ele gosta desse papel. Nós descobrimos juntos o melhor lugar para o Daniel – disse Fernando Diniz, em entrevista à “ESPN Brasil”.

– No São Paulo ele se achou. Está fazendo um ano maravilhoso. O ano passado já tinha sido bom, mas esse ano está fazendo um Paulista e Libertadores muito positivos. Está jogando muito. Outra coisa que o Daniel faz: ele consegue melhorar os jogadores ao lado dele. Jogando em uma região mais central isso acontece de maneira mais constante. Nesse momento ele se achou e acredito que na carreira seja um momento muito singular. Está se movendo em todos os lugares do campo, fazendo coisas que não podia fazer só na lateral direita – completou Fernando Diniz.

+ Leia mais notícias do São Paulo

Fernando Diniz e Daniel Alves no CT da Barra Funda: técnico elogia camisa 10 do São Paulo — Foto: Marcelo Hazan
Fernando Diniz e Daniel Alves no CT da Barra Funda: técnico elogia camisa 10 do São Paulo — Foto: Marcelo Hazan

Fernando Diniz e Daniel Alves no CT da Barra Funda: técnico elogia camisa 10 do São Paulo — Foto: CLUBE SPFC NET ANDERSON SILVA

O técnico do São Paulo comentou sobre como será a atuação desse novo Daniel Alves na Seleção.

– Concordo com o Tite que especificamente para mim ele ainda é o melhor lateral-direito do mundo. Quando ele voltar para a Seleção para ser o lateral ele não vai voltar disfuncional. Faz isso a vida inteira. Ao contrário. Ele vai voltar com muito mais recurso. Vai ter mais facilidade do que já tinha para jogar na lateral. Essa é a minha crença – disse o treinador.

Fernando Diniz também opinou sobre o que espera que aconteça quando a pandemia do novo coronavírus terminar.

– Espero que a sociedade, não só do Brasil, mas mundial, perceba que o mundo é cada vez mais uma ilha. Todas as pessoas precisam umas das outras. Essa desigualdade social no mundo não tem razão de ser. Podemos distribuir melhor a riqueza do mundo. O mundo produz muita riqueza, mas quanto mais riqueza a gente produz maior fica a desigualdade. A sociedade tem de repensar e procurar diminuir a desigualdade. No fundo, temos de viver cada vez mais em comunidade e se respeitando. É tentar viver de uma maneira mais equilibrada.

+ SEJA SÓCIO TORCEDOR! Ganhe vantagens exclusivas e ajude o São Paulo a ser ainda maior. Clique aqui e se cadastre

São Paulo encara resistência de elenco a proposta de adequação salarial durante pandemia

São Paulo encara resistência de elenco a proposta de adequação salarial durante pandemia

Clube apresenta redução de 50% dos pagamentos, mas parte dos jogadores rejeita. Departamento de futebol terá férias coletivas de 2 a 21 de abril

Por CLUBE SPFC NET ANDERSON SILVA — São Paulo

01/04/2020 12h00  Atualizado há 18 horas


A proposta de adequação salarial feita pela diretoria do São Paulo ao elenco profissional sofre resistência de uma parte significativa dos jogadores, que não quer aceitar o acordo que visa cortar despesas do clube durante o período de paralisação do futebol por causa da epidemia de Covid-19.

Alguns jogadores entendem que a diretoria tenta incluir no acordo dívidas antigas que mantêm com os atletas. Esse jogadores querem primeiro receber os valores atrasados, para então discutir acordo relativo a pagamentos futuros.

O clube propõe uma série de ajustes temporários no pagamento aos jogadores, como corte de 50% no salário pago em carteira (CLT) e suspensão dos direitos de imagem a partir deste mês (com pagamento previsto para o início de maio) – veja a proposta completa no fim da reportagem.

O São Paulo garante um mínimo de R$ 50 mil mensais e afirma que reembolsará todos os valores quando a crise passar, em seis parcelas.

Fernando Diniz conversa com elenco do São Paulo — Foto: Divulgação São Paulo
Fernando Diniz conversa com elenco do São Paulo — Foto: Divulgação São Paulo

Fernando Diniz conversa com elenco do São Paulo — Foto: Divulgação São Paulo

As conversas são lideradas pelo diretor executivo de futebol Raí e pelo gerente executivo Alexandre Pássaro.

Sem consenso entre clube e jogadores nessas condições, existe uma tendência de que as conversas sigam por um meio-termo. Mas não há qualquer prazo por uma definição.

O São Paulo trata a proposta como a única possível neste momento de crise financeira e diminuição de receitas – e, no documento, afirma que os termos valem até 30 de junho. Se nada mudar até lá, uma nova adequação terá que ser feita.

Paralelamente à discussão salarial, o São Paulo comunicou os atletas na última terça-feira que eles terão férias coletivas de 20 dias a partir desta quinta. A decisão foi anunciada na tarde desta quarta-feira (veja abaixo).

Veja a nota oficial do São Paulo:

“O São Paulo Futebol Clube informa que, a partir desta quinta-feira (02/04), concederá férias aos atletas, integrantes da comissão técnica e colaboradores vinculados ao Departamento de Futebol até o próximo dia 21 de abril.

A decisão acompanha movimento solicitado pela CBF diante da paralisação das competições em âmbito nacional e internacional, em decorrência da pandemia do novo coronavírus.

Para este período, os jogadores estão orientados a se cuidar e terão uma planilha de acompanhamento físico, como é comum em períodos de férias.”

Veja em detalhes a proposta do São Paulo aos jogadores:

  • Dois meses de direitos de imagens pagos até o dia 5 de abril. O outro mês (março) assim que possível;
  • 50% do salário CLT de março no dia 5 de abril; 50% do salário CLT de dez dias de abril no dia 5 de maio;
  • 50% do salário CLT sempre nos dias 5;
  • Manter um mínimo de R$ 50 mil na CLT;
  • Valores de luvas CLT serão incorporados e sofrerão mesmo desconto;
  • Valor descontado será reembolsado a partir do mês seguinte em que tudo voltar ao normal, com rendas para o clube, em 6 parcelas iguais, junto com salários;
  • Imagens de 1 de abril (vencimento 10 de maio) em diante congeladas até a volta de tudo, e os valores pagos em 6 parcelas depois que tudo voltar ao normal;
  • Caso haja prejuízo definitivo e importante em valores que o clube não vá mais receber a ideia seria negociar um desconto permanente, mas não definido agora;
  • Caso tudo não retorne ao normal até 30 de junho será necessária uma nova negociação.

Veja os detalhes da propostas de férias aos jogadores:

  • Férias coletivas de 2 a 21 de abril;
  • Respeitar a solicitação da CBF;
  • Além dos 20 dias de férias em abril, outros dez dias serão tirados no fim do ano;
  • Na possibilidade de tirarem mais dez dias do final do ano, haverá a concessão de licença remunerada
  • 50% do valor das férias de abril será pago no dia 5 de maio, e os outros 50% mais um terço em dezembro.

+ Leia mais notícias do São Paulo

O São Paulo tem uma preocupação interna financeiramente, pois as receitas diminuíram sem a realização dos jogos. A folha salarial total do elenco supera a casa dos R$ 11 milhões. Uma boa notícia foi a antecipação de parte da premiação pela participação na fase de grupos da Copa Libertadores, no valor de US$ 1,8 milhão (aproximadamente R$ 9,1 milhões).

Por outro lado, o clube teve prejuízo de R$ 47 mil no clássico com o Santos com portões fechados e não poderá contar com a renda de bilheteria. Além disso, o Barcelona ainda não pagou 1 milhão de euros (cerca de R$ 5 milhões) acertado pela opção de compra de Gustavo Maia, jogador da base.

+ SEJA SÓCIO TORCEDOR! Ganhe vantagens exclusivas e ajude o São Paulo a ser ainda maior. Clique aqui e se cadastre

Veja quanto o São Paulo projeta de prejuízo com a paralisação do futebol por conta da pandemia

Veja quanto o São Paulo projeta de prejuízo com a paralisação do futebol por conta da pandemia

Elias Albarello, diretor financeiro do clube, faz balanço e comenta adequação de salários

Por CLUBE SPFC NET ANDERSON SILVA  — São Paulo

02/04/2020 07h00  Atualizado há 1h50 minutos


São Paulo prevê um prejuízo de cerca de R$ 100 milhões caso o futebol no Brasil fique paralisado por cerca de dois a três meses. Esse foi o balanço feito por Elias Albarello, diretor financeiro do clube.

Em entrevista ao canal do jornalista Jorge Nicola, na última quarta-feira, Elias Albarello explicou os impactos que a pandemia do novo coronavírus pode causar aos cofres do Tricolor.

– Nos últimos dez dias, analisando o impacto efetivo, no São Paulo deve girar em torno de R$ 90 milhões e R$ 100 milhões, nas projeções que estamos tendo de dois a três meses sem futebol. Como falei, pode chegar até a R$ 100 milhões, depende da retomada, por exemplo. Temos discutido com a CBF, há cenários de iniciar campeonatos e no retorno, por força de lei, ter jogos com portões fechados. Isso já perde bilheteria, o que foi o grande impacto que tivemos – afirmou o diretor.

No clássico contra o Santos, no qual o São Paulo atuou com portões fechados, o time do Morumbi estima perda de R$ 1 milhão com a devolução dos ingressos àqueles que já tinham adquirido as entradas. Já na partida adiada contra o River Plate, pela Libertadores, havia a previsão de um lucro de cerca de R$ 4 milhões.

+ Leia mais notícias do São Paulo

Morumbi teve portões fechados para São Paulo x Santos — Foto: Alexandre Lozetti
Morumbi teve portões fechados para São Paulo x Santos — Foto: Alexandre Lozetti
Anderson Silva

Morumbi teve portões fechados para São Paulo x Santos — Foto: CLUBE SPFC NET ANDERSON SILVA

Outra preocupação é em relação aos patrocínios. Sem a exposição das marcas durante a paralisação do futebol, há receio de que os parceiros suspendam os pagamentos. Os custos do estádio do Morumbi também preocupam.

– Se não está veiculando a marca do patrocinador, dificilmente deve ter patrocínio, com suspensão. É natural. É uma cadeia. O clube social, as taxas de manutenção, contribuição associativa, programa de sócio-torcedor que vai impactar fortemente e tudo de operação no Morumbi, restaurante, academia, buffet. São nossos cessionários. Considerando isso de dois a três meses o impacto vai ser dessa natureza, de R$ 100 milhões – explicou Elias Albarello.

O São Paulo atualmente tem 13 patrocinadores e não houve suspensões de pagamentos até o momento. O clube investe na exposição das marcas através de suas redes sociais. O patrocínio máster com o Banco Inter se encerra no fim de abril, e o setor de marketing está em negociações para a renovação do contrato.

Negociação por salário

Elias Albarello também comentou sobre as negociações para adequação salarial do elenco. Inicialmente, parte significativa dos jogadores se mostrou resistente às condiçãos apresentadas pelo clube.

Alguns jogadores entendem que a diretoria tenta incluir no acordo dívidas antigas que mantêm com os atletas. Esse jogadores querem primeiro receber os valores atrasados, para então discutir acordo relativo a pagamentos futuros.

O clube propõe uma série de ajustes temporários no pagamento aos jogadores, como corte de 50% no salário pago em carteira (CLT) e suspensão dos direitos de imagem a partir deste mês (com pagamento previsto para o início de maio).

+ Veja aqui a proposta completa.

Fernando Diniz conversa com elenco do São Paulo — Foto: Divulgação São Paulo
Fernando Diniz conversa com elenco do São Paulo — Foto: Divulgação São Paulo

Fernando Diniz conversa com elenco do São Paulo — Foto: CLUBE SPFC NET ANDERSON SILVA

O São Paulo garante um mínimo de R$ 50 mil mensais e afirma que reembolsará todos os valores quando a crise passar, em seis parcelas.

– Não é redução de salário. A partir do momento que tivermos a entrada de recurso, nós vamos pagar. Fui surpreendido pelas notícias, porque isso está em negociação. Venho conversando com Raí e (Alexandre) Pássaro e não perdi a esperança que isso pode ser aceito (pelos jogadores) – afirmou o diretor financeiro do Tricolor.

O São Paulo trata a proposta como a única possível neste momento de crise financeira e diminuição de receitas – e, no documento, afirma que os termos valem até 30 de junho. Se nada mudar até lá, uma nova adequação terá que ser feita.

+ SEJA SÓCIO TORCEDOR! Ganhe vantagens exclusivas e ajude o São Paulo a ser ainda maior. Clique aqui e se cadastre

Fernando Diniz quer acolher Gonzalo Carneiro no São Paulo e diz ser difícil segurar Igor Gomes

Fernando Diniz quer acolher Gonzalo Carneiro no São Paulo e diz ser difícil segurar Igor Gomes

Atacante uruguaio está liberado após um ano de suspensão por doping e será avaliado pelo treinador. Meia entrou na mira do Real Madrid, segundo jornal espanhol

Por CLUBE SPFC NET ANDERSON SILVA  — São Paulo

01/04/2020 16h20  Atualizado há 12 horas


O técnico Fernando Diniz, do São Paulo, disse que vai avaliar Gonzalo Carneiro e pretende acolher o uruguaio. O atacante foi liberado da suspensão de doping.

A pena inicial era de dois anos, mas o Tribunal de Justiça Desportiva Antidopagem (TJD-AD), entendeu que o jogador se submeteu aos tratamentos e reduziu a punição para 12 meses.

– Pode (ser útil tecnicamente). Conheço pouco o jogador, mas ele veio muito bem referendado quando chegou ao São Paulo. Gosto de analisar o jogador depois que trabalho com ele, ainda mais nesse momento difícil que ele teve na vida e vai retornar ao São Paulo. Vamos acolher da melhor maneira, ajudar como conseguir e ver qual vai ser a condição dele para poder permanecer ou não, e fazer o melhor para ele e para o São Paulo. Em princípio, da minha parte vai ser olhado e quero conhecer melhor para saber quanto pode nos ajudar – disse Fernando Diniz, em entrevista à “Rádio Transamérica”.

Gonzalo Carneiro foi flagrado no antidoping em março de 2019, com a presença de benzoilecgonina, um metabólito da cocaína, no jogo contra o Palmeiras, no Pacaembu, na primeira fase do Paulistão. Ele jogou os 90 minutos, e o Tricolor perdeu por 1 a 0.

Desde então, o atacante uruguaio seguiu tratamento psicológico e ficou 45 dias internado numa clínica de reabilitação no Brasil para tratar o problema. Durante o período, Carneiro também realizou atividades para manter a forma física.

+ Leia mais notícias do São Paulo

Gonzalo Carneiro tem pena reduzida para 12 meses e está liberado para voltar ao São Paulo — Foto: Rubens Chiri/saopaulofc.net
Gonzalo Carneiro tem pena reduzida para 12 meses e está liberado para voltar ao São Paulo — Foto: Rubens Chiri/saopaulofc.net

Gonzalo Carneiro tem pena reduzida para 12 meses e está liberado para voltar ao São Paulo — foto: CLUBE SPFC NET ANDERSON SILVA

contrato de Gonzalo Carneiro com o São Paulo está suspenso. Ele estava proibido de frequentar o CT da Barra Funda e também não recebeu salários. O uruguaio foi contratado pelo São Paulo em abril do ano passado e assinou com o clube até 31 de março de 2021.

Igor Gomes

Na entrevista para a rádio “Transamérica”, Fernando Diniz também encheu a bola de Igor Gomes. O jornal “AS”, da Espanha, noticiou que o Real Madrid está de olho no jogador do São Paulo. Vale lembrar, no entanto, que não há nenhuma proposta ou negociação em andamento pelo meia.

Ao ser perguntado de forma genérica se é difícil a permanência do meia por muito tempo no Brasil, o técnico disse:

– Acho que é difícil permanecer por conta da idade e qualidade que tem. Os clubes, e o São Paulo não escapa disso, quase nenhum escapa, precisam vender jogadores para poder honrar os compromissos financeiros. Chega em determinado momento, com o tamanho da proposta, o clube se vê quase na obrigação de vender. Enquanto tivermos esse modelo que aí está, sem entrar em detalhes porque não sou a pessoa mais indicada a falar de detalhes de como futebol brasileiro é gerido, vamos continuar sendo fornecedor de matéria-prima. E ele é uma grande matéria-prima – afirmou Fernando Diniz.

– Pela evolução que está tendo, é um jogador numa curva exponencial de crescimento. Joga cada vez melhor, é identificado com clube e com a maneira que o time joga hoje. A maneira dele se relacionar com a vida aproxima muito daquilo que penso. Foi quase instantânea a melhora dele depois que eu cheguei. Há uma tendência muito clara de o Igor jogar cada vez melhor. Com a idade que está vai ser sempre difícil o time segurar. Se for falar o que eu quero é que pudesse permanecer o maior tempo possível. É um jogador de qualidade muito rara no futebol brasileiro, quiçá mundial, e da maneira que jogo é muito importante – completou o treinador.

Aos 21 anos, Igor Gomes tem contrato com o São Paulo até 2023 e recebeu recentemente um aumento salarial.

+ SEJA SÓCIO TORCEDOR! Ganhe vantagens exclusivas e ajude o São Paulo a ser ainda maior. Clique aqui e se cadastre

Futuro do futebol paulista segue indefinido, e FPF tem lista longa de torneios que não começaram

Futuro do futebol paulista segue indefinido, e FPF tem lista longa de torneios que não começaram

Veja um panorama da situação da entidade após a paralisação por conta da pandemia

Por CLUBE SPFC NET ANDERSON SILVA  — São Paulo

31/03/2020 17h55  Atualizado há 11 horas


Será longo o caminho a ser percorrido até que o futebol seja retomado no estado de São Paulo. Por causa da pandemia de Covid-19, a Federação Paulista de Futebol interrompeu a disputa de três torneios profissionais masculinos que estavam em andamento – as Séries A1, A2, e A3 – e nem sequer deu início a outras 13 competições.

A lista de campeonatos que ainda não começaram e não têm data para começar é longa: Sub-11, Sub-13, Sub-15, Sub-17, Sub-20, Sub-20 Segunda Divisão, Copa Paulista, Segunda Divisão Sub-23, Paulista Feminino, Feminino Sub-17, Feminino Sub-15, Copa Paulista Feminina e Amador do Estado.

Segundo o GloboEsporte.com apurou, definições sobre a retomada das três competições suspensas e o início das demais dependem de uma série de fatores – e, sobretudo, de decisões que não podem ser tomadas pela FPF.

+ FPF paralisa campeonatos por tempo indeterminado

Sede da Federação Paulista de Futebol — Foto: Emilio Botta
Sede da Federação Paulista de Futebol — Foto: Emilio Botta

Sede da Federação Paulista de Futebol — Foto: ANDERSON SILVA

Primeiro, precisa haver uma determinação do governo do Estado de São Paulo que autorize a retomada do futebol. A CBF também precisa se manifestar sobre o que fazer com o Campeonato Brasileiro e a Copa do Brasil.

Só depois disso, quando o tamanho do calendário disponível estiver claro, a FPF pretende chegar a um consenso com clubes e atletas, para só então definir uma data para a bola voltar a rolar.

Há clubes do interior que já fizeram chegar à Federação Paulista o desejo de retomar o futebol sem torcida – algo que é impossível hoje, por determinação do governo estadual.

Possíveis adaptações nas fórmulas de disputa dos campeonatos interrompidos também não estão sendo discutidas ainda, por não haver previsão de quantas datas ainda estarão disponíveis até o fim do ano. Também parece cada vez mais claro que os efeitos da paralisação do futebol em 2020 será sentidas, no mínimo, até 2021.

São 90 clubes profissionais com as atividades interrompidas em 2020. Cerca de 3.200 contratos estão registrados na Federação Paulista – um terço deles, de atletas profissionais

Pagar 50% do salário, congelar imagem e 20 dias de férias: veja a proposta do São Paulo aos atletas

Pagar 50% do salário, congelar imagem e 20 dias de férias: veja a proposta do São Paulo aos atletas

Clube busca solução financeira com jogadores em meio à crise por coronavírus

Por CLUBE SPFC NET ANDERSON SILVA  — São Paulo

31/03/2020 21h13  Atualizado há 2 horas


São Paulo fez aos jogadores uma proposta de redução salarial por causa da crise do coronavírus. O clube oferece pagar 50% do salário na carteira (CLT) a partir de março, mês que será pago no dia 5 de abril, e manter um mínimo de R$ 50 mil por mês na carteira aos atletas.

O Tricolor também propõe pagar dois meses de direito de imagem do ano (janeiro e fevereiro) até o dia 5 de abril e quitar o terceiro mês pendente (março) “assim que possível”. As outras parcelas mensais do direito de imagem, pagas a partir do dia 1 de abril, ficam suspensas “até a volta de tudo”.

Todos os valores descontados, de acordo com a proposta, serão reembolsados a partir do mês seguinte em que “tudo voltar ao normal” em seis parcelas junto com os salários.

Por fim, o clube propõe férias coletivas de 2 a 21 de abril, com os 10 dias restantes para serem tirados no fim do ano. O São Paulo pagaria 50% das férias de abril no dia 5 de maio e 50% mais um terço do salário em dezembro.

No documento enviado aos jogadores, que o CLUBE SPFC NET  teve acesso, o clube aponta que esse ajuste é válido até o final de junho. Se “as coisas não voltarem ao normal” até lá, um novo acordo precisará ser feito.

Fernando Diniz conversa com elenco do São Paulo — Foto: Divulgação São Paulo
Fernando Diniz conversa com elenco do São Paulo — Foto: Divulgação São Paulo

Fernando Diniz conversa com elenco do São Paulo — Foto: Divulgação São Paulo

Veja em detalhes a proposta do São Paulo aos jogadores:

  • Dois meses de direitos de imagens pagos até o dia 5 de abril. O outro mês (março) assim que possível;
  • 50% do salário CLT de março no dia 5 de abril;
  • 50% do salário CLT de 10 dias de abril no dia 5 de maio;
  • 50% do salário CLT sempre nos dias 5;
  • manter um mínimo de R$ 50 mil na CLT;
  • Valores de luvas CLT serão incorporados e sofrerão mesmo desconto;
  • Valor descontado será reembolsado a partir do mês seguinte em que tudo voltar ao normal, com rendas para o clube, em 6 parcelas iguais, junto com salários;
  • Imagens de 1 de abril (vencimento 10 de maio) em diante congeladas até a volta de tudo, e os valores pagos em 6 parcelas depois que tudo voltar ao normal;
  • Caso haja prejuízo definitivo e importante em valores que o clube não vá mais receber a ideia seria negociar um desconto permanente, mas não definido agora;
  • Caso tudo não retorne ao normal até 30 de junho será necessária uma nova negociação.

Veja os detalhes da propostas de férias aos jogadores:

  • Férias coletivas de 2 a 21 de abril;
  • Respeitar a solicitação da CBF;
  • Além dos 20 dias de férias em abril, outros dez dias serão tirados no fim do ano;
  • Na possibilidade de tirarem mais dez dias do final do ano, haverá a concessão de licença remunerada
  • 50% do valor das férias de abril será pago no dia 5 de maio, e os outros 50% mais um terço em dezembro.

– A suspensão de 50% do salário e a suspensão do contrato de direito de imagem pode fazer com que, na prática, o atleta receba 30% da remuneração – analisou o advogado esportivo Leonardo Laporta, considerando que os jogadores geralmente recebem 60% dos rendimentos em carteira e 40% em imagem.

– Esse curto período de suspensão dos campeonatos não é suficiente para que os clubes possam saber a exata extensão dos seus efeitos, motivo pelo qual não há que se falar em força maior, por enquanto – completou o advogado.

O São Paulo tem uma preocupação interna financeiramente, pois as receitas diminuíram sem a realização dos jogos. A folha salarial total do elenco supera a casa dos R$ 11 milhões. Uma boa notícia foi a antecipação de parte da premiação pela participação na fase de grupos da Copa Libertadores, no valor de US$ 1,8 milhão (aproximadamente R$ 9,1 milhões).

Por outro lado, o clube teve prejuízo de R$ 47 mil no clássico com o Santos com portões fechados e não poderá contar com a renda de bilheteria. Além disso, o Barcelona ainda não pagou 1 milhão de euros (cerca de R$ 5 milhões) acertado pela opção de compra de Gustavo Maia, jogador da base.

+ SEJA SÓCIO TORCEDOR! Ganhe vantagens exclusivas e ajude o São Paulo a ser ainda maior. Clique aqui e se cadastre

Gonzalo Carneiro tem pena por doping reduzida e pode ser reintegrado ao São Paulo


assista
loja

Gonzalo Carneiro tem pena por doping reduzida e pode ser reintegrado ao São Paulo

Atacante uruguaio seguiu tratamentos e está liberado após um ano de suspensão no São Paulo

Por CLUBESPFCNET.WORDPRESS.COM 31/03/2020 17h20  Atualizado há 4 horas


O atacante Gonzalo Carneiro está liberado da suspensão de doping e poderá ser reintegrado ao São Paulo. A pena inicial era de dois anos, mas o Tribunal de Justiça Desportiva Antidopagem (TJD-AD), entendeu que o jogador se submeteu aos tratamentos e reduziu a punição para 12 meses.

Gonzalo Carneiro foi flagrado no antidoping em março de 2019, com a presença de benzoilecgonina, um metabólito da cocaína, no jogo contra o Palmeiras, no Pacaembu, na primeira fase do Paulistão. Ele jogou os 90 minutos, e o Tricolor perdeu por 1 a 0.

Desde então, o atacante uruguaio seguiu tratamento psicológico e ficou 45 dias internado numa clínica de reabilitação no Brasil para tratar o problema. Durante o período, Carneiro também seguiu realizando atividades para manter a forma física.

+ Leia mais notícias do São Paulo

Gonzalo Carneiro tem pena reduzida para 12 meses e está liberado para voltar ao São Paulo — Foto: Rubens Chiri/saopaulofc.net
Gonzalo Carneiro tem pena reduzida para 12 meses e está liberado para voltar ao São Paulo — Foto: Rubens Chiri/saopaulofc.net
CLUBE SPFC NET Anderson Silva

Gonzalo Carneiro tem pena reduzida para 12 meses e está liberado para voltar ao São Paulo — Foto: Rubens Chiri/saopaulofc.net

De acordo com o advogado de Gonzalo Garneiro, Bichara Neto, a CBF agora será notificada e o jogador volta a ter condição de jogo. Ficará sob a responsabilidade do São Paulo definir quando ele será reintegrado.

contrato de Gonzalo Carneiro com o São Paulo está suspenso. Ele estava proibido de frequentar o CT da Barra Funda e também não recebeu salários.

O uruguaio foi contratado pelo São Paulo em abril do ano passado e assinou com o clube até 31 de março de 2021. O São Paulo pagou ao Defensor Sporting, do Uruguai, 800 mil dólares (R$ 2,6 milhões na cotação da época) por 50% dos direitos de Gonzalo Carneiro.